N-Acetilcisteína – Um Antioxidante Para Soldados

N-Acetil L-Cisteína (NAC ou N-acetilcisteína) é o derivado N-acetilo do aminoácido L-cisteína que ocorre naturalmente. E funciona principalmente ajudando a restaurar a glutationa, antioxidante natural do corpo (γ-glutamilcisteinilglicina; GSH).

Como o antioxidante mais abundante em seu corpo, o GSH é responsável por manter o equilíbrio oxidativo em cada uma de suas células.

Tomar glutationa como suplemento nootrópico não restaura adequadamente os níveis de GSH no cérebro porque não consegue atravessar a barreira hematoencefálica. Este nootrópico vastamente subestimado, NAC, penetra facilmente na barreira hemato-encefálica e aumenta os níveis de glutationa em seu cérebro. [I]

NAC tem sido usado para tratar o envenenamento por acetaminofeno por décadas. [II] Todos os anos há 56.000 visitas à ER (UTI americana) por overdose de Tylenol, resultando em pelo menos 100 mortes. [III] NAC fornece a glutationa que seu fígado precisa para combater o metabolito NAPQI do Tylenol que causa danos graves ao fígado.

Como um nootrópico, o NAC ajuda a prevenir a toxicidade do glutamato, aumenta a dopamina e reduz a inflamação, os danos oxidativos e radicais livres.

N-acetil L-cisteína auxilia:

  • Neuroproteção: NAC como um precursor da glutationa, é um potente antioxidante, anti-inflamatório e eliminador de radicais livres[IV] Seu cérebro é especialmente vulnerável à inflamação, aos radicais livres e ao dano oxidativo. Afetando cognição, potenciação de longo prazo, memória e humor.
  • Neurotransmissores: O NAC modula os níveis de glutamato e a liberação de dopamina no cérebro. O excesso de glutamato no cérebro é tóxico para as células do cérebro, afetando a saúde, a cognição, a memória e o humor dos neurônios. E o NAC protege os receptores influenciando os níveis de dopamina e funcionamento no seu cérebro. Protegendo os terminais nervosos dopaminérgicos até mesmo do uso crônico de metanfetaminas. [V]
  • Ansiedade e depressão: NAC reduz irritabilidade, ansiedade e depressão. O NAC aumenta a capacidade antioxidante do seu corpo e equilibra os neurotransmissores excitatórios e inibitórios em seu cérebro. Resultando em menos ansiedade e depressão.

Post.png

Visão geral

A L-cisteína é produzida naturalmente em seu corpo usando o aminoácido metionina. Você também pode obter L-cisteína ao comer ricota e queijo cottage, iogurte, carne de porco, frango, peru, pato, gérmen de trigo, granola e flocos de aveia.

Mas o estresse agudo, a doença ou uma dieta pobre podem esgotar os níveis de L-cisteína em seu corpo e cérebro. A maneira mais rápida e eficiente de aumentar os níveis de L-cisteína é suplementar com N-Acetil L-Cisteína (NAC).

O NAC regula a quantidade de glutamato no seu cérebro. O glutamato é um neurotransmissor que é responsável pelo envio de sinais entre os neurônios do cérebro. Isso desempenha um papel importante na aprendizagem e formação de memórias.

Mas o excesso de glutamato pode ser tóxico para as células cerebrais. O NAC regula a quantidade de glutamato e o mantém em níveis seguros e saudáveis.

O NAC influencia a quantidade de dopamina disponível em seu cérebro. Ele trabalha para manter os receptores de dopamina saudáveis ​​e capazes de transmitir e receber dopamina. Esses neurotransmissores são cruciais para a energia cognitiva e a motivação, o controle motor, as sensações de prazer e o foco.

O NAC é um precursor da poderosa glutationa anti-oxidante (GSH). GSH é um potente anti-inflamatório, antioxidante e depurador de radicais livres.

Seu cérebro é especialmente vulnerável à inflamação, aos radicais livres e ao dano oxidativo. Se não for controlada, a inflamação, a oxidação e os radicais livres podem afetar negativamente a cogniçãopotenciação a longo prazo, a memória e o humor.

1200px-(R)-N-Acetylcysteine_Structural_Formulae.png

Como um nootrópico, o NAC pode aumentar os níveis de glutationa e dopamina no cérebro. O NAC também é usado por profissionais médicos para tratar distúrbios cognitivos graves, como esquizofrenia, transtorno bipolar, depressão grave e ansiedade.

Como funciona a N-Acetil L-Cisteína no cérebro?

N-acetil L-cisteína aumenta a saúde do cérebro e funciona de várias maneiras. Mas dois em especial se destacam:

  1. N-acetil L-cisteína reduz o estresse oxidativo. O estresse oxidativo resulta em danos dos radicais livres nas células cerebrais. Levando a neurodegeneração e, finalmente, Alzheimer, Parkinson e outros distúrbios neuronais relacionados com a idade. Proteínas e DNA são lesados, inflamação, dano tecidual e apoptose celular (morte celular) são o resultado.

E os biohackers não são imunes ao estresse oxidativo, não importa sua idade. Tenha isso em mente na próxima vez que você encontrar uma Coca Zero. O consumo do adoçante artificial aspartame induz inflamação cortical e estresse oxidativo.

Os pesquisadores realizaram um estudo com 30 ratos Wistar machos adultos divididos aleatoriamente em 3 grupos. O grupo controle recebeu água destilada. O segundo grupo recebeu aspartame. E o terceiro grupo recebeu aspartame e NAC. A administração oral foi feita diariamente pela manhã durante 90 dias.

O estudo descobriu que o NAC afetou os níveis do fator neurotrófico derivado do cérebro (BDNF), bloqueou as enzimas inflamatórias COX-2PGE 2, e reduziu a expressão de interleucina-6 (IL-6) e das citocinas inflamatórias do fator-a de necrose tumoral (TNF-α) no córtex cerebral de ratos. Eles também descobriram que o NAC reabastecia os níveis de glutationa.

Os pesquisadores concluíram que o NAC impediu a neurotoxicidade e melhorou a função neurológica, suprimiu a inflamação do cérebro e a resposta ao estresse oxidativo[VI]

  1. N-acetil L-cisteína alivia a depressão. O transtorno depressivo maioré um dos transtornos psiquiátricos mais comuns. É um fardo para o indivíduo, a família e a comunidade. E as empresas farmacêuticas estão faturando literalmente bilhões na venda de vários antidepressivos. Não tratando a causa, produzindo uma série de efeitos colaterais e, na maioria dos casos, apenas “emburrecendo” os sintomas.

Mas o canal para a descoberta de novas drogas antidepressivas está quase parado para tratar problemas como esquizofrenia, transtorno bipolar, depressão e formas comuns de autismo.

A boa notícia é que a neurociência continua a trabalhar no problema. E demonstraram que muitos desses distúrbios compartilham inflamação e estresse oxidativo como parte de sua fisiologia da doença.

Os neurocientistas também descobriram que as vias associadas que causam estas doenças incluem uma redução nas proteínas que estimulam o crescimento dos neurônios (neurotrofinas), aumentam a apoptose (morte celular) e reduzem a geração de energia nas mitocôndrias.

Acontece que o NAC parece ter múltiplos efeitos em todos esses caminhosO NAC reduz os principais sintomas da esquizofrenia, reduz a depressão e reduz o desejo por vários vícios, incluindo cocaína, cannabis e tabaco. [VII]

Como as coisas vão mal 

1.jpg

À medida que envelhecemos ou sofremos de doenças crônicas, nossa química cerebral e corporal e o metabolismo energético mudam.

↑ O estresse oxidativo no aumento das células cerebrais

↓ Os radicais livres danificam os neurônios

↓ Receptores de dopamina param de funcionar

↓ A toxicidade do glutamato causa dano celular e apoptose

↓ Declinação do Fator Neurotrófico Derivado do Cérebro (BDNF)

↓ Quedas de energia nas mitocôndrias

Todas essas mudanças são frequentemente atribuídas a doenças crônicas, escolhas de estilo de vida e envelhecimento.

Sem controle, eles podem levar a doenças neurodegenerativas como Parkinson, Alzheimer, depressão maior, esquizofrenia, TOC, vícios, autismo e queda na qualidade de vida.

N-acetil L-cisteína para o resgate

NAC é uma versão ligeiramente modificada do aminoácido L-cisteína contendo enxofre. Quando tomado como suplemento, o NAC reabastece os níveis intracelulares da glutationa antioxidante natural (GSH). Restaurar a capacidade das células de combater os danos causados ​​pelas espécies reativas de oxigênio (ROS).

A medicina convencional tem usado NAC por décadas como um inalador mucoso inalado para tratar os sintomas da fibrose cística. NAC é administrado por via intravenosa (IV) ou por via oral como tratamento para intoxicação aguda por acetaminofeno. O NAC restaura rapidamente os níveis de glutationa, evitando a incapacidade permanente ou a morte.

A comunidade nootrópica descobriu recentemente o NAC como uma forma de suprimir a inflamação no cérebro. O NAC previne o estresse oxidativo nas células cerebrais, elimina os radicais livres, restaura o Fator Neurotrófico Derivado do Cérebro (BDNF), rejuvenesce os receptores de dopamina e melhora a função cognitiva geral.

O NAC pode ajudar a aumentar a cognição, a Potenciação de Longo Prazo para a formação de memória a longo prazo, a memória de curto prazo e de trabalho, melhorar o seu humor e diminuir a ansiedade.

Qual é a sensação do N-Acetil L-Cisteína?

Biohackers relatam que a suplementação com NAC pode ser o melhor nootrópico que já usaram para o cérebro e a saúde em geral. Comentários incluem:

  • Pensamento mais claro (menos nevoeiro cerebral)
  • Memória melhorada
  • Concentração e atenção melhoradas
  • Menos ansiedade
  • Menos depressão
  • Menos irritabilidade
  • Humor melhorado
  • Sintomas causados ​​pormedicamentos de TDAH desaparecem
  • Comportamento obsessivo-compulsivo diminui
  • Qualidade do sono melhorada
  • Maiores níveis de energia
  • A manutenção do peso é mais fácil
  • Menos gripes e resfriados
  • A pele parece melhor
  • Sensação de ser mais jovem
  • As ressacas são menos graves

A pesquisa

N-acetil L-cisteína aumenta a dopamina

Os tratamentos para a doença de Parkinson limitam-se a substituir a dopamina no cérebro. Bem como alguns medicamentos destinados a retardar a doença.

Em 2016, pesquisadores da Universidade Thomas Jefferson mostraram que o estresse oxidativo no cérebro poderia desempenhar um papel crítico na progressão do mal de Parkinson. E esse estresse reduz os níveis de glutationa, um composto produzido no cérebro para neutralizar o estresse oxidativo.

Estudos mostram que a N-acetil L-cisteína (NAC) ajuda a reduzir o dano oxidativo aos neurônios, ajudando a restaurar os níveis de glutationa antioxidante.

Neste estudo, os pacientes de Parkinson foram colocados em dois grupos. O primeiro grupo recebeu 50 mg/kg de NAC por via intravenosa uma vez por semana. E 600 mg de NAC como suplemento duas vezes por dia nos dias sem a dose intravenosa.

O segundo grupo (controle) recebeu apenas o tratamento padrão de Parkinson. Os pacientes foram avaliados no início do estudo e novamente 3 meses depois.

A avaliação consistiu na Escala Unificada de Avaliação da Doença de Parkinson (UPDRS), e uma tomografia cerebral SPECT que mede a quantidade de transportador de dopamina no cérebro.

Em comparação com os controles, os pacientes que receberam NAC tiveram melhorias significativas em suas pontuações. Um dos autores do estudo disse: “Nós não vimos anteriormente uma intervenção para a doença de Parkinson ter esse tipo de efeito sobre o cérebro”. Este estudo demonstrou pela primeira vez o efeito direto do NAC no sistema de dopamina do cérebro. O NAC tem a capacidade única de permitir que os neurônios da dopamina recuperem sua função[VIII]

N-Acetil L-Cisteína ​​repara lesões cerebrais traumáticas

Traumatismo Cranioencefálico (TCE) é um grande problema de saúde pública que afeta 1,7 milhões de americanos a cada ano. [IX] O TCE pode ser causado por lesões esportivas, acidentes de trabalho, acidentes com carros e motocicletas, quedas e sua esposa batendo na cabeça com uma frigideira.

Muitos sobreviventes acabam com disfunção neurocognitiva a longo prazo ou mesmo permanente. Afetando cognição, função motora (movimento) e personalidade. Estima-se que essas deficiências custem US$ 9,2 bilhões em custos médicos vitalícios e US$ 51,2 bilhões em perdas de produtividade. [X]

Uma das principais causas do TCE é a exposição à explosão no campo de batalha. Os sintomas são semelhantes a outras causas de TCE; tontura, perda auditiva, cefaleia, perda de memória, problemas de sono e disfunção neurocognitiva.

Em um cérebro submetido a TCE, há toxicidade do glutamato, lesão de radicais livres nas células cerebrais, desequilíbrio eletrolítico, disfunção mitocondrial, inflamação, apoptose (morte celular) e derrame. [XI] [XII]

2.jpg

Este estudo duplo cego, controlado por placebo, foi conduzido com 81 membros do serviço ativo em um hospital de campanha implantado no Iraque. Todos os membros do serviço neste estudo foram expostos a detonação significativa e cumpriram os critérios para o TCE.

Os membros do serviço foram aleatoriamente designados para receber placebo ou N-Acetil L-Cisteína (NAC) por 7 dias. A resolução após 7 dias de todos os sintomas de TCE listados acima foi o desfecho principal deste estudo.

Os pesquisadores concluíram que o NAC era uma contramedida farmacêutica segura de TBI induzido por explosões. E que o trabalho adicional em resultados a longo prazo e o uso potencial de NAC em TCE civil é garantido. [XII]

N-acetil L-cisteína ajuda a aliviar a depressão

Ambos depressão e transtorno bipolar são complicados pela depleção de glutationa. Os pesquisadores deste estudo duplo-cego, multicêntrico e controlado por placebo trabalharam com 75 indivíduos com transtorno bipolar.

Os participantes receberam 1 grama de NAC duas vezes ao dia por 24 semanas. O tratamento com NAC causou uma melhora significativa com a depressão com aqueles que usavam NAC.

Os pesquisadores concluíram que “o NAC parece uma estratégia de aumento segura e eficaz para os sintomas depressivos”. Neste caso, com pessoas que sofrem de transtorno bipolar. [XIV]

Notas de dosagem 

N-Acetyl-L-Cysteine-dosage-200x300.jpg

A dosagem para benefício cognitivo é cerca de 600mg 3 vezes por dia.

Estudos clínicos descobriram que doses de até 2.000 mg por dia são seguras e eficazes.

E um estudo alemão mostrou a segurança de 2.800 mg por dia durante 3 meses em pacientes com fibrose cística. [XV]

O NAC também se mostrou eficaz contra a gripe sazonal e doenças semelhantes à gripe. Um grande estudo de adultos idosos na Itália tomou 600 mg de NAC duas vezes ao dia durante 6 meses. Apenas 25% dos adultos que usaram NAC apresentaram episódios semelhantes à gripe, comparados a 79% no grupo placebo. [XVI]

Efeitos colaterais

O NAC é considerado não tóxico e muito seguro.

NAC é uma versão ligeiramente modificada do aminoácido L-cisteína contendo enxofre. Então, o NAC em pó pode ter um cheiro desagradável.

Muito raramente o NAC pode causar náusea, vômito, diarréia ou constipação. Ainda mais raros são erupções cutâneas, febre, dor de cabeça, sonolência, pressão baixa e problemas no fígado.

Os efeitos colaterais podem ser um resultado de doses muito altas de NAC. E se você tem uma condição genética chamada Cistinúria não use NAC. Esta condição rara faz com que pedras se formem à partir de cisteína nos rins, uretra e bexiga. NAC é a forma N-acetil de cisteína.

O uso a longo prazo de altas doses de NAC pode esgotar as reservas de zinco do organismo. [XV] Então, se você estiver usando o NAC todos os dias, você também deve suplementar com zinco e baixa dose de cobre.

Fonte: https://nootropicsexpert.com/n-acetyl-l-cysteine/
Tradução: Renan Marron e Mota

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Deixe seu comentário

Sobre o Autor

Meu propósito de vida é difundir a arte do biohacking ajudando o maior número de pessoas. Sou viciado na possibilidade de nos tornarmos imortais e já provei quase todos os nootrópicos que sem notícia.

Últimas Publicações