Metabolismo da Cafeína

Você já pensou sobre o que realmente está acontecendo no seu corpo quando você toma um energético ou bebe aquele café?

Como a cafeína é absorvida e como isso afeta o seu metabolismo? Por quanto tempo a cafeína permanece ativa em seu sistema e por que as pessoas anseiam por um gole?
Vamos tentar responder essas perguntas e mais nos termos mais simples possíveis, para que você possa ser um consumidor instruído quando se trata do metabolismo da cafeína.

Cafeína Desde o Primeiro Gole

A cafeína atravessa facilmente as membranas do corpo, de modo que, desde o primeiro gole, a cafeína entra na corrente sanguínea através do revestimento da boca, da garganta e do estômago.

Leva apenas 45 minutos para que 99% da cafeína seja absorvida através dessas membranas.

Em humanos, a meia-vida da cafeína é em média de 4 a 6 horas, o que explica por que a bebida energética média ou o efeito do café dura cerca de 4 a 6 horas.

Coisas como idade, condições médicas e interação medicamentosa podem afetar a meia-vida.

Nota: Humanos também podem ter 3 níveis de sensibilidade à cafeína . Isso também determina quão bem você metaboliza a cafeína e até que ponto suas propriedades estimulantes o afetam. Leia sobre eles aqui no nosso outro post.

Cafeína na Corrente Sanguínea

Embora a maioria das pesquisas sobre cafeína tenha sido conduzida usando animais, os dados foram convertidos para mostrar o efeito mais provável no corpo humano. Assim que a cafeína entra no corpo, ela já está sendo metabolizada pelo fígado e dividida em teofilina, teobromina e paraxantina.

De lá, esses produtos químicos viajam por todo o corpo, onde afetam várias funções do corpo.

Está em Seus Genes

A velocidade com que a cafeína é metabolizada depende de genes específicos. A pesquisa continua a descobrir variações genéticas que parecem ser responsáveis ​​por quanto tempo a cafeína permanece na corrente sanguínea.

Pessoas com uma variação específica do gene PDSS2 processam a cafeína mais lentamente que outras. Eles, portanto, precisam de menos café para os mesmos efeitos estimulantes.

Cafeína no Cérebro

O mais estudado é o modo como a cafeína é semelhante à molécula de adenosina no cérebro. As moléculas de cafeína se ligam aos receptores de adenosina nas células cerebrais e bloqueiam a ligação da adenosina.

A adenosina desempenha um papel no ciclo vigília-sono. Quando a adenosina se liga a receptores suficientes, ela sinaliza ao cérebro que é hora de descansar ou dormir. A cafeína não substitui a necessidade de sono da pessoa, mas apenas encobre os sintomas de sonolência que a adenosina não pode mais produzir.

Isso também interage com o sistema de dopamina no cérebro , que é o neurotransmissor do bem-estar. Quando a adenosina é bloqueada pela cafeína, o sistema de dopamina funciona de forma mais eficiente.

Além disso, níveis elevados de adenosina no sangue fazem com que as glândulas suprarrenais liberem adrenalina. Este hormônio estimulante aumenta ainda mais os sentimentos de alerta e energia.

Os Efeitos da Cafeína no Corpo

Teofilina relaxa os músculos lisos, o que tem sido benéfico para aqueles com asma e é a razão por que depois de beber cafeína o indivíduo muitas vezes sente vontade de ir ao banheiro, pois está afetando os músculos lisos do cólon. A teobromina aumenta a quantidade de oxigênio e nutrientes que podem ser usados ​​pelo cérebro e pelos músculos.

A cafeína causa uma contração inicial das paredes das artérias (vasoconstritor), mas relaxa esse músculo liso, que tem um efeito vasodilatador geral nos vasos sanguíneos. Em outras palavras, abre os vasos sanguíneos para permitir um maior fluxo sanguíneo. src

Saída de Cafeína do Corpo

Os metabólitos da cafeína são então filtrados pelos rins e saem do corpo com a urina.

Foi demonstrado que a cafeína tem um efeito diurético no corpo, o que basicamente faz com que o corpo liberte mais água na urina.

No entanto, uma nova pesquisa sugere que isso é apenas em pessoas que não construíram uma tolerância à molécula de cafeína.

Quando a cafeína sai do corpo ou é usada pelas várias células do corpo, a pessoa pode experimentar um “crash” causado por níveis elevados de adenosina que alagam o cérebro e a dopamina que agora está sendo reprimida. Isso causa sentimentos de cansaço e fadiga. O uso prolongado de cafeína também causa sintomas de abstinência.

Fonte: https://www.caffeineinformer.com/caffeine-metabolism

Tradução: Renan Marron e Mota

 

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Deixe seu comentário

Sobre o Autor

Meu propósito de vida é difundir a arte do biohacking ajudando o maior número de pessoas. Sou viciado na possibilidade de nos tornarmos imortais e já provei quase todos os nootrópicos que sem notícia.

Últimas Publicações