A Dopamina tem um lugar de destaque: é provavelmente o neurotransmissor mais famoso, e também o mais fácil de sentir, tanto por quem se aventura no mundo dos nootrópicos e drogas inteligentes, quanto por quem sofre sua deficiência. Sem a dopamina, não seríamos capazes de nos sentir guiados e motivados. Ela aumenta a atenção, melhora a função cognitiva e estimula nossa criatividade. Isso nos torna mais sociais e extrovertidos e nos ajuda a formar laços românticos e parentais. No entanto, a dopamina, quando muito alta, também pode ter suas desvantagens: aumento no ganho de peso e agressividade e muitas pessoas procuram fontes artificiais de dopamina, o que pode levar ao vício. É um químico que pode mudar vidas quando bem equilibrado.

Ondas cerebrais beta que fazem você se sentir alerta são criadas nos lobos frontais do cérebro a partir de neurônios que produzem a dopamina bioquímica, que controla a voltagem elétrica do seu cérebro.

A dopamina tem relação com:

  • Pressão sanguínea
  • Metabolismo
  • Digestão
  • Movimento voluntário
  • Inteligência
  • Pensamento abstrato
  • Criação de metas e objetivos
  • Planejamento à longo prazo
  • Produção de adrenalina

Aqueles indivíduos com uma natureza predominantemente dopaminérgica que se encontrada equilibrada sabem o que querem, são assertivos, obstinados, rápidos e autoconfiantes. As personalidades da dopamina tendem a gostar de fatos e os números são altamente racionais e são orientados para a realização. Tipos de dopamina gravitam em direção a ocupações como lei, ciência, medicina alopática, engenharia, arquitetura e forças armadas.

Resultado de imagem para dopamina
Estrutúra quimica da Dopamina

As deficiências de dopamina podem levar a alguns dos seguintes sintomas:

  • Anemia
  • Instabilidade do açúcar no sangue
  • Perda de densidade óssea
  • Pressão alta
  • Baixo desejo sexual e/ou dificuldade para atingir o orgasmo
  • Dor nas articulações
  • Distúrbios da tireóide
  • Agressão (paradoxalmente)
  • Raiva
  • Depressão
  • Incapacidade de lidar com o estresse
  • Culpa ou sentimentos de inutilidade
  • Sono excessivo
  • Mudanças de humor
  • Velocidade de processamento de pensamento lento
  • Esquecimento
  • Transtorno de déficit de atenção
  • Hiperatividade
  • Incapacidade ao terminar tarefas

Deficiências severas de dopamina são frequentemente tratadas com medicamentos ou hormônios. Deficiências moderadas de dopamina podem ser equilibradas com dieta, suplementos e modificações no estilo de vida.

Os sinais físicos de deficiência de dopamina serão fadiga, dormir muitas horas e ainda não sentir-se descansado, mente vagando, dificuldade em tomar decisões, disfunção sexual e até desejo de cafeína. Inconscientemente você tentará compensar evitando situações estressantes, tomando café para lhe dar energia, bebendo álcool para se derrubar, você dificilmente sairá da sua zona de conforto. É importante, uma vez que você perceba isso, corrigir a deficiência subjacente de dopamina com uma nutrição adequada, suplementação e modificações no estilo de vida.

Cada um dos neurotransmissores primários tem um precursor de nutrientes, e a dopamina é derivada dos aminoácidos Fenilalanina e Tirosina. Os co-fatores folato, Vitamina B6, Ferro, Cobre e Vitamina C são importantes para a Fenilalanina ser absorvida.

Imagem relacionada

A Neuroquímica da Motivação

Os pesquisadores sabem há muito tempo que o neurotransmissor dopamina está envolvido no prazer e na recompensa. Mais dopamina no cérebro resulta em sentimentos de maior prazer. E a presença de dopamina no seu cérebro leva você a buscar essa “recompensa” do prazer.

Mas os pesquisadores descobriram recentemente que a dopamina também regula a motivação.

A dopamina fornece a iniciativa e a perseverança necessárias
para ir atrás do que é importante para você.

Mercè Correa, pesquisador da Universitat Jaume I de Castellón explica: “Acreditava-se que a dopamina regulava o prazer e a recompensa e que a liberamos quando obtemos algo que nos satisfaça.

Mas, de fato, as últimas evidências científicas mostram que esse neurotransmissor age antes disso. Na verdade, nos encoraja a agir. Em outras palavras, a dopamina é liberada para alcançar algo bom ou para evitar algo mal. ” (R)

Os níveis de dopamina variam de acordo com o indivíduo. Algumas pessoas são mais persistentes do que outras quando vão atrás de metas. O que você provavelmente notou nas pessoas ao seu redor quando se trata de atletismo, escola e trabalho.

Aqueles com níveis mais altos de dopamina fazem mais.

A dopamina ajuda você a manter o nível de atividade necessário para o que você pretende. Seja positivo ou negativo. Dependendo do que você estiver correndo atrás. Não importando se o objetivo é ser um bom aluno ou abusar de drogas.

Altos níveis de dopamina também podem explicar o comportamento dos que buscam sensação, porque são motivados a agir. Você vê isso em esportes radicais. Ou performances musicais de grande sucesso.

Correa continuou dizendo: “As pessoas deprimidas não sentem vontade de fazer nada e isso é por causa dos baixos níveis de dopamina ”.

Essa falta de energia e motivação também está relacionada a vários problemas de saúde debilitantes. Muitas vezes associada à fadiga mental. Doenças como Parkinson, esclerose múltipla e fibromialgia.

Folgado ou Motivado

Outro estudo realizado por uma equipe da Universidade Vanderbilt usou um PET para mapear os cérebros de pessoas que buscam e desbravam. E eles descobriram que aqueles dispostos a trabalhar por recompensas tinham níveis mais altos de dopamina nas duas áreas do cérebro conhecidas por estarem envolvidas na motivação e recompensa (estriado e córtex pré-frontal ventromedial).

Por outro lado, os folgados apresentavam níveis mais altos de dopamina em uma área do cérebro chamada de ínsula anterior. Esta área está envolvida na emoção e percepção de risco.

Esta última observação foi uma surpresa completa para os pesquisadores. Porque mais dopamina na ínsula está associada a um desejo reduzido de trabalhar. Mesmo que isso signifique ganhar menos dinheiro. (R)

Receptores de Glutamato AMPA e Motivação

Acontece que a dopamina não é o único neurotransmissor envolvido na motivação. Em 2014, os pesquisadores descobriram que os neurônios do glutamato em uma região específica do cérebro (núcleo dorsal da rafe) ativam os neurônios dopaminérgicos na via da recompensa da dopamina.

Os receptores de glutamato estão associados à comunicação neural, formação de memória e aprendizado. Quando os receptores de glutamato AMPA nesta área do cérebro (núcleo dorsal da rafe) são estimulados. Isso acaba ativando o sistema de recompensa da dopamina. (R)

Os pesquisadores seguiram esse caminho até o final, usando traçadores especiais e compostos de rotulagem.

O caminho da recompensa (ou motivação) começa com a estimulação dos receptores de glutamato AMPA que se conectam aos neurônios da dopamina. Que por sua vez segue o caminho para o nucleus accumbens. A estrutura do cérebro ligada à motivação, prazer e recompensa.

elo perdido da motivação nos Nootrópicos

A sabedoria comum nos círculos nootrópicos (até agora) nos aconselha a aumentar a dopamina para hackear a motivação. É verdade que, à medida que os níveis de dopamina sobem no núcleo accumbens (caminho de recompensa), motivação, prazer e recompensa são todos afetados.

Mas essa mesma sabedoria comum faria você acreditar que, se aumentar os níveis gerais de dopamina no cérebro, aumentará a motivação. E isso não é verdade.

De fato, se você aumentar demais os níveis de dopamina, o excesso de dopamina se converte em norepinefrina. Você fica irritado e não consegue dormir.

O elo perdido nesta via de dopamina → recompensa → motivação são os receptores de glutamato AMPA.

Nem sempre aumentar diretamente os níveis globais de dopamina será adequado. Encorajar a estimulação dos receptores de glutamato AMPA pode levar à melhores resultados. Equilibrar a dopamina pela dieta também pode se mostrar um caminho melhor que suplementos.

A dieta a seguir é ideal para aumentar a dopamina:

  • Baixos níveis de açúcar
  • Frutos do mar para DHA
  • Muitos vegetais para magnésio, fibra solúvel e folato
  • Azeite e abacate para Gorduras monoinsaturadas
  • Chá verde para teanina e cafeína
  • Alimentos de origem animal ou alimentos ricos em colesterol
  • Especiarias como açafrão e orégano
  • Bananas
  • Dieta rica em proteínas para tirosina e fenilalanina

Tanto a tirosina quanto a fenilalanina são encontradas em alimentos ricos em proteínas (R):

  • Frango e Peru
  • Peixe
  • Amêndoas
  • Abacates
  • Bananas
  • Sementes de abóbora e gergelim
  • Leite e derivados como queijo, iogurte e requeijão
  • Legumes como soja, feijão e amendoim

Estilo de vida para aumentar a dopamina

Sol

Imagem relacionada

A luz do Sol pode melhorar nosso humor. Isso pode ser parcialmente devido à dopamina. Um estudo mostra que a luz pode aumentar a dopamina e, portanto, melhorar o humor em mulheres com transtorno de humor sazonal leve (R). A luz também estimula a liberação de dopamina na retina, e isso é benéfico para manter uma boa visão (R).

Exercício

Imagem relacionada

O exercício aumenta a dopamina (RR). Um estudo em mulheres mostrou que o exercício diminui a atividade da COMT , aumentando assim a dopamina em mulheres (no córtex pré-frontal) (R). COMT é a enzima que decompõe a dopamina.

Com problemas para manter o ritmo na academia? Os nootrópicos dessa lista podem ajudar.

Meditação

Resultado de imagem para meditation

A meditação aumenta a liberação de dopamina (RR). No entanto, os efeitos parecem ser transitórios, a menos que a meditação seja feita regularmente.Um estudo mostra que a prática de meditação a longo prazo é necessária para induzir mudanças estáveis ​​na dopamina na linha de base (estriado) (R).

Yoga

Imagem relacionada

3 meses praticando yoga aumentaram os níveis de dopamina nos homens (no sangue / níveis circulantes) (R). O estudo revelou que as práticas de yoga podem ajudar na prevenção da degeneração relacionada à idade em homens saudáveis.

Toque

Imagem relacionada

Contato físico prazeroso pode aumentar a dopamina. Em ratos, foi demonstrado que o acariciamento aumenta a liberação de dopamina (nucleus accumbens) (R). Cócegas, como uma forma de comportamento lúdico em ratos adolescentes, também aumenta a liberação de dopamina (nucleus accumbens) (R). No início da vida, a estimulação do toque melhora a memória de trabalho espacial em ratos, possivelmente melhorando a função da dopamina (R).

Massagem Terapêutica

Imagem relacionada

Massagem terapêutica aumenta a dopamina, com um aumento de 31% da dopamina urinária em pessoas (R). Massagem aumentou os níveis de dopamina em gestantes com depressão (R) e em adolescentes com bulimia (R).

Música

Imagem relacionada

Partes do cérebro liberam dopamina quando ouvem música prazerosa (estriado, núcleo accumbens) (RRRR). Não apenas ouvir, mas criar e tocar música também produzem dopamina (R).

Suplementos e Nootrópicos

Tirosina

Resultado de imagem para tirosina

Tirosina aumenta os níveis de dopamina no cérebro (RRR). Um estudo mostra que a suplementação de tirosina aumenta efetivamente o desempenho cognitivo, particularmente em situações estressantes de curto prazo e/ou cognitivamente exigentes quando a dopamina é temporariamente esgotada (RR).

N-Acetil-L-Tirosina (NALT)

Resultado de imagem para nalt

O NALT é uma versão acetilada da Tirosina, tornando-se mais biodisponível. Isso não o torna necessariamente mais eficaz que a Tirosina; sua fisiologia será o fator principal à definir qual dos dois é melhor pra você. Ele também apresenta uma boa sinergia com estimulantes como Ritalina e Venvanse.

Saiba mais sobre o NALT.

Chá Verde

Imagem relacionada

O chá verde aumenta a dopamina em ratos (no sangue, modelo de estresse) (RR). A Teanina, um dos principais componentes de aminoácidos do chá verde, aumenta a dopamina em animais (RRR).

Saiba mais sobre a Teanina em nosso artigo dedicado.

Cafeína

Resultado de imagem para coffee

A cafeína aumenta a liberação de dopamina (estriado, nucleus accumbens) (RR). Os efeitos de aumento de desempenho da cafeína são obtidos via dopamina. A cafeína mantém uma maior concentração de dopamina, especialmente naquelas áreas do cérebro ligadas com atenção (R).

Saiba mais sobre o metabolismo e a sensibilidade à cafeína

Rhodiola Rosea

Resultado de imagem para rhodiola

Na Rússia, a Rhodiola Rosea é amplamente usada como remédio para fadiga, falta de concentração e diminuição da memória. Acredita-se também que torne os trabalhadores mais produtivos. Pesquisas mostram que a Rhodiola pode aumentar a atenção à tarefas detalhadas, melhorando a concentração por um período prolongado. O nootrópico ideal para estudos. Rhodiola Rosea estimula o sistema nervoso para combater a fadiga que sufoca a clareza mental. E estudos mostram que até salva neurônios feridos. E incentiva o crescimento e desenvolvimento de células cerebrais (neurogênese). (R)

Pregnenolona

Imagem relacionada

O sulfato de pregnenolona aumenta a dopamina em animais (estriado, nucleus accumbens) (RR).

Magnésio

Resultado de imagem para magnesium

O magnésio tem efeitos antidepressivos que podem estar parcialmente ligados ao aumento da atividade da dopamina no cérebro (R).

Saiba mais sobre o magnésio.

Sulbutiamina

Resultado de imagem para sulbutiamine

Sintetizada no laboratório a partir de vitamina B 1(tiamina), a sulbutiamina aumenta a memória, a motivação e é um antidepressivo. A tiamina é essencial para a produção do neurotransmissor acetilcolina (ACh) e aumenta os níveis de dopamina.(R)

Erva de São João

Resultado de imagem para erva de são joão

Vários estudos mostraram que o St. John’s Wort , um antidepressivo à base de plantas, aumenta a quantidade de dopamina no cérebro (nucleus accumbens, striatum) (RRRRR).

Gingko

Imagem relacionada

Gingko Biloba aumenta a atividade neuronal da dopamina e da dopamina (PVN, VTA, Nucleus Accumbens) (R, R, R). Este aumento na dopamina pode explicar parcialmente a melhora da função cognitiva observada com a suplementação de Gingko.

Curcumina

Resultado de imagem para Curcumina

A curcumina aumenta a concentração de dopamina no cérebro (RRR), inibindo a degradação da dopamina mediada pela MAO (R).

Picamilon

Resultado de imagem para picamilon

Apesar de sua principal área de atuação ocorrer em volta do neurotransmissor GABA, estudos mostraram que essa combinação única de niacina e GABA afeta a regulação dos neurotransmissores no cérebro. Picamilon normalizou o conteúdo de serotonina e dopamina e captação de dopamina no cérebro num estudo sobre a doença de Parkinson. (R)

Saiba mais sobre o Picamilon, com direito à uma experiência em primeira mão.

Butirato

Imagem relacionada

O butirato pode aumentar os níveis de dopamina em animais em resposta a lesões tóxicas (estriado) (RR). Você pode obter butirato na dieta consumindo fibras solúveis encontradas em frutas e vegetais ou ghee.

Racetams

Os Racetams são uma classe de nootrópicos que podem ser muito eficientes na produção de dopamina. Eles interferem no Receptores de Glutamato AMPA, podendo ser mais eficazes que a elevação direta dos níveis de dopamina. Clique aqui para uma comparação mais detalhada dos Racetams.

Resultado de imagem para piracetam

Piracetam – O primeiro racetam já desenvolvido, este nootrópico modula os receptores AMPA e NMDA. (R) E aumenta o fluxo de acetilcolina, sensibilidade e densidade de receptores ACh em seu cérebro. Piracetam também aumenta o fluxo sanguíneo cerebral. Entregando mais oxigênio e nutrientes para os neurônios. Melhorando a sinalização neural, cognição, memória, foco e motivação.

Resultado de imagem para aniracetam

Aniracetam – Muito conhecido por ajudar com a ansiedade e a depressão. Esta ampaquina liposolúvel afeta os níveis de acetilcolina no cérebro. Ativa D2 e ​​D3 A dopamina e o aniracetam modulam os receptores AMPA. (R) Levando a melhor cognição, memória e motivação.

Resultado de imagem para oxiracetam

Oxiracetam – Esta ampaquina hidrossolúvel modula os receptores de AMPA. (R) O oxiracetam aumenta a acetilcolina E aumenta a síntese de ATP nas células cerebrais.
O oxiracetam melhora significativamente a cognição, a memória, a percepção sensorial, os reflexos e a motivação.

Saiba mais sobre o Oxiracetam.

Resultado de imagem para phenylpiracetam

Fenilpiracetam – Este nootrópico solúvel em água é conhecido por seus efeitos estimulantes. Aumenta a densidade dos receptores de acetilcolina, NMDA, GABA e dopamina no cérebro. (R) Mais receptores significam mais ligação para neurotransmissores que afetam a formação de memória, cognição, sono, humor e motivação. Em estudos clínicos provou afetar as ondas cerebrais Alfa e Beta. E assim como Ritalina ou Adderall, este nootrópico aumenta a eficácia da dopamina no cérebro. Aumentando a atenção, capacidade de decisão , cognição e motivação.

Saiba mais sobre o Fenilpiracetam.

Resultado de imagem para pramiracetam

Pramiracetam – Um derivado e mais potente que o Piracetam, o Pramiracetam estimula a absorção de colina no cérebro. E tem um efeito profundo na síntese do neurotransmissor acetilcolina(R) Aumenta os níveis de energia, fornecendo estímulo focado para melhor motivação mental e motivação.

Saiba mais sobre o Pramiracetam.

Resultado de imagem para noopept

Noopept – Este nootrópico derivado do peptídeo relacionado à família racetam aumenta o BDNF, estimula os receptores de dopamina, nicotínicos e de serotonina. (R) Aumenta a energia, a cognição, a memória, o raciocínio lógico, o humor e a motivação. Noopept também aumenta as ondas cerebrais Alfa e Beta Você se torna mais calmo e criativo. É mais fácil entrar em um estado de fluxo. E você está propenso a tomar decisões inovadoras e engenhosas.

Saiba mais sobre o Noopept.

Resultado de imagem para nefiracetam

Nefiracetam – Este racetam solúvel em gordura é estruturalmente semelhante ao Aniracetam. O nefiracetam aumenta a quantidade de tempo em que os canais de cálcio nos neurónios permanecem abertos. Melhorar a sinalização na via crítica para potenciação a longo prazo e formação de memórias de longo prazo. O nefiracetam também potencia a proteína cinase C alfa que está envolvida na potenciação a longo prazo (LTP)(R) O PKCα depende da sinalização do glutamato. E o Nefiracetam ativa a proteína quinase II dependente de Ca2 + / calmodulina (CaMKII), que é crítica na formação da memória. (R) Novamente dependente desinalização de glutamato. Lembre-se, a sinalização do glutamato dispara os neurônios da dopamina, o que leva a um aumento na motivação.

Folato

Resultado de imagem para folato

O folato (Vitamina B9) é encontrado em folhas verdes/vegetais e é necessário para a produção/síntese de dopamina (e serotonina). Quando seu corpo está com baixo teor de folato, ele não pode produzir dopamina e outros neurotransmissores (monoaminas) eficientemente, o que pode resultar em depressão (RR). Atenção na hora de escolher: apesar do Ácido Fólico ser um tipo de Folato, sua absorção é consideravelmente menos eficiente e pode causar até câncer quando suplementado à longo prazo.

Huperzine A

Imagem relacionada

Huperzine A é uma substância conhecida por aumentar a acetilcolina, mas também aumenta os níveis de dopamina 129% acima do valor basal em ratos (córtex) (R). Esta substância pode ajudar no tratamento da dependência de drogas (R).

SAM-e

Resultado de imagem para sam-e

S-adenosil-l-metionina é um suplemento dietético comumente usado para tratar a depressão. SAM-e ajuda na produção de dopamina e outras monoaminas, causando elevações nos níveis de dopamina (R).

Shilajit

Resultado de imagem para Shilajit

Shilajit é uma biomassa natural encontrada no Himalaia. Na prática médica tradicional indiana para ser útil no tratamento de distúrbios nervosos, epilepsia e como um agente anti-stress. Shilajit aumenta os níveis de dopamina neuronal no cérebro, que tem uma ação supressora da ansiedade (R).

Uridina

Resultado de imagem para uridine

A Uridina aumenta os níveis de dopamina no cérebro de ratos quando os neurónios são ativados (estriado) (R). A uridina é encontrada muito concentrada em levedura nutricional, levedo de cerveja, carne e peixe.

Saiba mais sobre a Uridina.

Óleo de peixe/DHA

Imagem relacionada

DHA (Ômega 3) pode aumentar os níveis de dopamina no cérebro em ratos (striatum). Os níveis de dopamina também foram 40% maiores no córtex frontal de ratos alimentados com óleo de peixe. O tratamento com DHA levou a um aumento de 89% nos terminais de tirosina-hidroxilase dentro do estriado em animais lesionados (RRR).

Ginseng

Imagem relacionada

Os componentes do Ginseng podem aumentar os níveis de dopamina no cérebro e ter efeitos benéficos na atenção, processamento cognitivo, função sensório-motora e tempo de reação auditiva em indivíduos saudáveis ​​(R). No entanto, o ginseng também pode neutralizar a liberação de dopamina em resposta a outros estimulantes como a nicotina e a cocaína (RR).

Danshen

Resultado de imagem para danshen

A sálvia vermelha, também conhecida como dansamina (Salvia miltiorrhiza), pode aumentar a dopamina nas células (estriado) (R).

Resveratrol

Imagem relacionada

O resveratrol é um polifenol que algumas plantas produzem em resposta ao estresse, como lesão ou infecção fúngica, também encontrado na casca e semente da uva. Pesquisas recentes mostram que este polifenol funciona como uma ampaquina no cérebro. O resveratrol é um inibidor da enzima PDE4 (Fosfodiesterase-4)(R) Estudos demonstram que quando você inibe PDE4, você aumenta os níveis de cAMP no cérebro. As vias dependentes de cAMP no cérebro ativam AMPK (proteína quinase ativada por AMP). Inibindo PDE4 e aumentando o AMPctambém torna o efeito da produção normal de dopamina mais eficaz. Impulsionar processos nessa corrente de vias químicas no cérebro aumenta o aprendizado, a memória e a motivação.

Orégano

Imagem relacionada

O extrato de orégano aumenta os níveis de dopamina, diminuindo a quebra e a recaptação de dopamina em animais (R).

Carvacrol

Imagem relacionada

Carvacrol, presente no óleo essencial de muitas plantas, incluindo óleos de orégano e tomilho, atua como um antidepressivo, ativando o sistema de dopamina em camundongos (R). Em baixas concentrações, o carvacrol aumenta a dopamina. No entanto, em altas concentrações, pode diminuir os níveis de dopamina (R).

Óleo de Sálvia

Resultado de imagem para Óleo de Sálvia

O óleo de sálvia (Salvia sclarea) aumenta a atividade da dopamina em ratos, o que contribui para seus efeitos antidepressivos (R).

Bacopa

Resultado de imagem para bacopa

O extrato de Bacopa (Bacopa monnieri) pode aumentar a dopamina em ratos (no córtex, hipocampo) e ter um efeito nootrópico (RR).

Saiba mais sobre Bacopa.

Mucuna pruriens

Resultado de imagem para mucuna pruriens

Mucuna pruriens tem uma alta concentração de L-Dopa (4-7%), que é um precursor da dopamina (R). Em estudos, ela provou aumentar a dopamina em ratos (RR).

Catuaba

Resultado de imagem para catuaba

A planta medicinal brasileira catuaba (Trichilia catigua), aumenta a liberação de dopamina e pode ter efeitos antidepressivos e afrodisíacos mediados pela dopamina (R). O produto à base de plantas que contém esta planta, catuama, tem efeitos semelhantes (R).

Alecrim

Imagem relacionada

Alecrim (Rosmarinus officinalis) aumenta os níveis de dopamina no cérebro (R).

Kava Kava

Imagem relacionada

Doses mais altas de kava (Piper methysticum) aumentam os níveis de dopamina em ratos (nucleus accumbens). Compostos individuais isolados de kava podem aumentar ou diminuir a concentração de dopamina (RR). No entanto, em alguns casos, a função de dopamina bloqueada também foi observada (R).

Lactobacillus Plantarum

Resultado de imagem para Lactobacillus Plantarum

O probiótico Lactobacillus Plantarum pode aumentar a dopamina no cérebro de camundongos (corpo estriado) e pode potencialmente melhorar comportamentos semelhantes à ansiedade e distúrbios psiquiátricos (RR).

Hexanal

Resultado de imagem para Hexanal

Hexanal é um composto de odor “verde” encontrado em plantas que podem aumentar a dopamina em ratos (estriado) (RR). O aumento da dopamina é um mecanismo potencial no qual odores verdes, como grama fresca e óleos vegetais, podem melhorar o humor e a atenção.

Marmelinho de Jardim

Imagem relacionada

O Marmelinho de Jardim, fruto da Chaenomeles speciosa utilizada na medicina tradicional chinesa, aumenta os níveis de dopamina inibindo o transportador de dopamina (DAT) (R).

Psoralea Corylifolia

Imagem relacionada

Psoralea Corylifolia / extrato de semente e seus componentes aumentam a dopamina (R, R). Esta planta é usada tanto em Ayurveda como na medicina tradicional chinesa.

Mycoleptodonoides Aitchisonii

Resultado de imagem para Mycoleptodonoides Aitchisonii

O cogumelo comestível Mycoleptodonoides Aitchisonii aumenta a dopamina (R).

Videira de Trombeta Azul

Resultado de imagem para Videira de Trombeta Azul

A videira de trombeta azul (laurifolia do Thunbergia) é uma medicina erval tailandesa usada para tratar a toxicodependência. Ele age aumentando a dopamina (RR).

Jurubeba

Resultado de imagem para Solanum Torvum

Jurubeba (Solanum Torvum) aumenta a dopamina e mostra atividade antidepressiva (R).

Gardenia Jasminoides

Resultado de imagem para Gardenia Jasminoides

Gardenia Jasminoides pode aumentar a dopamina inibindo a MAO-A e B (R).

Hormônios que aumentam a dopamina

Estrogênio

Resultado de imagem para estrogenio

O estrogênio pode aumentar a dopamina. As mulheres agem de forma mais impulsiva no início, em oposição à fase tardia do ciclo menstrual (R). Em ratos, as melhorias induzidas pelo estrogênio na memória de reconhecimento mostraram-se devidas, em parte, ao aumento da dopamina (R). No entanto, a relação da dopamina com o desempenho cognitivo não é linear – a função da dopamina segue uma curva em “U invertido”, onde a dopamina ótima resulta em função máxima e níveis insuficientes ou excessivos levam à disfunção (R). É por isso que muito estrogênio não é benéfico.

Oxitocina

Resultado de imagem para oxitocina

Estudos demonstraram que a Oxitacina tem impacto na atividade dopaminérgica dentro do sistema de dopamina mesocorticolímbico, que é crucial não apenas para a recompensa e o comportamento motivado, mas também para a expressão de comportamentos afiliativos. (R) Porém, a Oxitocina de uso intra-nasal não é suficiente devido à sua incapacidade de atravessar a barreira hematoencefálica.

Grelina

Resultado de imagem para grelina

A grelina estimula a liberação de dopamina em ratos (amígdala, nucleus accumbens, VTA, córtex pré-frontal) (RR).

Drogas/Agonistas de Dopamina 

Nicotina

Resultado de imagem para nicotina

Nicotina mexe no circuito de recompensa no cérebro, aumentando a liberação de dopamina (estriado, VTA, amígdala, nucleus accumbens, córtex pré-frontal) (RRR).

L-Dopa

Resultado de imagem para l-dopa

L-dopa é feito de tirosina e depois convertido em dopamina. Basicamente, é o precursor da dopamina (R). Prefira a versão orgânica extraída da Mucuna Pruriens para evitar colaterais indesejados e possíveis problemas relacionado ao acúmulo de dopamina periférica.

Bromantano

Resultado de imagem para Bromantane

O bromantano aumenta a quantidade de dopamina no cérebro aumentando a sua síntese a partir da tirosina (aumenta a Tirosina Hidroxilase, AAAD) (RR). O aumento da dopamina é observado no hipotálamo, estriado, área tegmentar ventral, nucleus accumbens e outras regiões (RRR). Ao aumentar a dopamina, o Bromantano aumenta o estado de alerta e a vigília (R) e melhora a memória de curto prazo, a motivação, as habilidades de planejamento e a atenção (R).

Tianeptina

Resultado de imagem para Tianeptina

Tianeptina aumenta a liberação de dopamina em ratos (nucleus accumbens> striatum) (R).

Phenibut

Resultado de imagem para Phenibut

Phenibut é uma droga nootrópica que estimula os receptores de dopamina (R).

Saiba mais sobre o Phenibut.

Álcool

Resultado de imagem para alcohol

A liberação de dopamina pode contribuir para os efeitos recompensadores do álcool e, assim, desempenhar um papel na promoção do consumo de álcool (nucleus accumbens) (R).

Metilfenidato / Anfetaminas

Resultado de imagem para ritalin adderall

As anfetaminas (Venvanse, Adderall) e o Metilfenidato (Ritalina, Concerta) exercem efeitos recompensadores e reforçadores elevando a dopamina e prolongando a sinalização do receptor da dopamina (R). Pesquisas anteriores mostraram que algumas pessoas com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade podem ter muitos transportadores de dopamina, o que resulta em baixos níveis de dopamina no cérebro. Tais drogas parecem elevar os níveis de dopamina, bloqueando a atividade dos transportadores de dopamina, que removem a dopamina assim que ela é liberada (R). Ambos são indicados no tratamento do TDAH.

Veja mais sobre alternativas para o tratameto de TDAH.

Modafinil e Família

Resultado de imagem para modafinil

O Modafinil (também chamado por Provigil) parece inibir a recaptação de dopamina pelo transportador de dopamina, aumentando assim a concentração de dopamina em humanos (RR). Hoje em dia há diversos compostos baseados no Modafinil como Adrafinil e Fluoromodafinil.

Conheça nossa experiência em primeira mão com o Fluoromodafinil.

Deprenyl

Resultado de imagem para Selegilina

Deprenyl (Selegilina) aumenta a dopamina, bloqueando a MAO-B, uma enzima que decompõe a dopamina (R), tornando-o um IMAO. Evite misturar qualquer IMAO com substâncias que aumentem consideravelmente a dopamina.

MDMA

Imagem relacionada

O MDMA/ Ecstasy aumenta (MUITO) a dopamina (R). Seu uso excessivo e à longo prazo pode ter efeito neurotóxico, matando os seus neurônios.

Cocaína

Resultado de imagem para cocaine

A cocaína inibe o transportador de dopamina responsável pela reciclagem da dopamina, aumentando assim os níveis de dopamina (R). Também apresenta altos níveis de neurotoxicidade.

Drogas e Suplementos que Diminuem a Dopamina

Anti-psicóticos

Resultado de imagem para antipsychotic

Em casos de esquizofrenia, você pode usar drogas antipsicóticas para reduzir a sinalização de dopamina bloqueando os receptores de dopamina (R).

Melatonina

Resultado de imagem para melatonina

A melatonina suprime a atividade da dopamina (R).

Saiba mais sobre a Melatonina.

Lítio

Imagem relacionada

O lítio prejudica a liberação de dopamina (RR). Normalmente receitado para pacientes com Transtorno de Bipolaridade.

Manganês

Imagem relacionada

O manganês de longo prazo diminui a liberação de dopamina no cérebro (RR). Um estudo mostrou que a exposição ao manganês, mesmo dentro do limite de segurança, diminuiu a produção de dopamina em primatas (R).

Liriodenina

Resultado de imagem para Liriodenina

A liriodenina inibe a produção de dopamina e diminui os níveis de dopamina ( R ).

Salvinorina A

Resultado de imagem para Salvinorina A

Derivado da planta Salvia divinorum (uma erva alucinógena), a Salvinorina A diminui a dopamina (R).

5-HTP

Resultado de imagem para 5-htp

A serotonina partilha as mesmas enzimas de conversão e desagregação com dopamina. A suplementação a longo prazo com 5-HTP, o precursor imediato da serotonina, pode causar depleção de dopamina, que pode agravar doenças neurológicas e psiquiátricas (R).

Saiba mais sobre o 5-HTP.

Condições que diminuem a dopamina

Inflamação

Imagem relacionada

A inflamação diminui a dopamina (R). É por isso que nos sentimos menos motivados e mais lentos quando estamos doentes (R).

Depravação materna

Imagem relacionada

A privação materna de filhotes de ratos leva a níveis mais baixos de dopamina. Entretanto, esses filhotes criados isoladamente apresentam maior aumento de dopamina em resposta ao estresse (R).

Dieta rica em Gorduras Saturadas

Resultado de imagem para gorduras saturadas

Gorduras saturadas podem suprimir a dopamina (RR).

Ingestão Crônica de Açúcar

Resultado de imagem para sugar

O açúcar aumenta de forma aguda a dopamina, que, ao longo do tempo, leva a um número reduzido de receptores de dopamina (D2) e, possivelmente, uma redução na própria dopamina, levando à dessensibilização. Esses efeitos não seriam devidos aos efeitos agudos do açúcar, mas ocorreria de semanas a meses com ingestão de açúcar cronicamente elevada e intermitente (R).

Deficiência de Ferro

Imagem relacionada

O ferro é um co-fator para a tirosina hidroxilase, uma enzima chave na produção de dopamina (R). Ratos com deficiência de ferro reduziram os níveis de dopamina no cérebro (R).

O baixo estoque de ferro no cérebro pode contribuir para os sintomas de TDAH porque os baixos níveis de ferro no cérebro podem alterar a atividade da dopamina (R).

Ratos desmamados alimentados com uma dieta deficiente em ferro mostraram diminuição da atividade física e aumento do comportamento semelhante à ansiedade com uma redução dos receptores de dopamina no cérebro (R).

No entanto, alguns estudos indicam que a deficiência de ferro tem o efeito oposto exato (R).

Pornografia

Resultado de imagem para pornography

Ao assistir pornografia, dopamina é liberada em uma região do cérebro responsável pela emoção e pelo aprendizado, dando ao espectador uma sensação de foco nítido e uma sensação de desejo. Um tempo depois, quando o espectador fica com a “coceira” por mais prazer sexual, pequenos pacotes de dopamina são liberados no cérebro, motivando-o à assistir novamente. O cérebro eventualmente fadiga, interrompendo a produção de dopamina, deixando o espectador querendo mais, mas incapaz de atingir um nível de satisfação. Como resultado, os prazeres do dia-a-dia deixam de causar excitação e o espectador procura pornografia mais nova e mais intensa para obter o mesmo nível de antes. À longo prazo isso pode desregular os receptores de dopamina e deixar o usuário menos motivado à outras atividades e mais motivado à assistir pornografia.

Fontes: https://www.selfhacked.com/blog/ways-to-increase-and-decrease-dopamine/
https://www.selfhacked.com/blog/dopamine/
https://nootropicsexpert.com/hacking-motivation-with-nootropics/
https://nootropicscity.com/neurotransmitters/
https://smartdrugsmarts.com/episodes/episode-74-dopamine/#
https://www.covenanteyes.com/2014/02/03/brain-chemicals-and-porn-addiction/

Tradução e Edição: Renan Marron e Mota

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Deixe seu comentário

Sobre o Autor

Meu propósito de vida é difundir a arte do biohacking ajudando o maior número de pessoas. Sou viciado na possibilidade de nos tornarmos imortais e já provei quase todos os nootrópicos que sem notícia.

Últimas Publicações